Reestruturação | Turnaround com processo judicial

VEÍCULOS DE CARGA E FORA-DE-ESTRADA

TURNAROUND MONITORADO, COM CONCORDATA, POR INICIATIVA DOS ACIONISTAS.

DEMANDA: No cenário de recessão dos anos 80, a maior empresa latino-americana produtora de veículos de transporte de carga e fora-de-estrada, estava em situação dramática, com declínio em vendas, crescimento de custos e despesas e enormes despesas financeiras acarretadas por altos juros incidentes sobre um excessivo endividamento com instituições financeiras. Para piorar, a maioria desses débitos vencia em prazo menor do que 180 dias! O acionista majoritário e  diretores buscavam uma saída.

SOLUÇÃO: Após uma análise e diagnóstico detalhado da empresa holding e suas 9 subsidiárias, a equipe consultiva da Orchestra® - Soluções Empresariais, delineou um plano estratégico de recuperação, o chamado "Projeto R" – de “Reestruturação” e “Recuperação”. Ele incluía acabar com a competição entre companhias subsidiárias e coligadas, especializá-las por linha de produto, introduzir mudanças na rede de assistência técnica, racionalizar a estrutura organizacional, centralizar o planejamento, a controladoria e a política empresarial na holding, renegociar e estender os débitos, etc. Em resumo, o "Projeto R" objetivava cortar custos e despesas, racionalizar e enxugar a estrutura, reduzir o número de fábricas e companhias, diminuir a necessidade de capital de giro, liberar ativos para serem alienados, enquanto se obtinha extensão de crédito proporcional à capitalização trazida pelo plano como um todo. Diante da não adesão e da pressão insuportável de alguns credores, o plano teve que ser viabilizado através de uma Concordata Preventiva, preceito vigente na época.

RESULTADO: O "Projeto R" foi implantado na íntegra e com sucesso. Três fábricas foram desativadas e seus imóveis vendidos. Estoques, custos e despesas tiveram substanciais reduções. A estrutura de capital foi fortalecida. Produção e vendas se mantiveram estáveis enquanto a força de trabalho foi reduzida 35% em quantidade e 30% em custo. A recuperação econômica e financeira trouxe de volta os lucros e a Concordata levantada antes do prazo legal de 2 anos. A holding, como empresa de capital aberto, voltou à capacidade de lançar ações ao público e reiniciou seu crescimento, inclusive através de novas subsidiárias em associação com sócios internacionais, sendo hoje uma das líderes mundiais no seu setor.

INDÚSTRIA ELETRÔNICA

TURNAROUND DE EMPRESA EM CONCORDATA, COM PROFISSIONALIZAÇÃO ATRAVÉS DE GESTÃO INTERINA, POR DEMANDA DE ACIONISTA, OBJETIVANDO DESINVESTIMENTO

DEMANDA: o maior acionista dessa indústria eletrônica que estava em processo judicial de concordata já deferida pediu ajuda à associados da Orchestra® - Soluções Empresariais para que identificassem investidor disposto a adquirir a empresa apenas pela assunção de seu passivo.

SOLUÇÃO: Analisada a situação da empresa os especialistas em M&A de nossa equipe concluíram pela improbabilidade de sua venda no status vigente, além da inconveniência de fazê-lo no momento, diante da capacidade de recuperação operacional e de valor.

Em decorrência de amplo diagnóstico da situação, um plano estratégico de recuperação foi definido pela equipe consultiva e jurídica da Orchestra®, o qual incluiu o imediato afastamento do controlador e filhos das funções executivas, passando a ocupar posições no criado Conselho de Administração de Crise. Em paralelo, nossa equipe assumiu a gestão da empresa na qualidade de "gestores interinos" plenipotenciários, para implementar então inexistentes procedimentos de planejamento, pesquisa, controles, sistemas, organização, suprimentos, etc. A estrutura foi simplificada e 250 pessoas de um total de 450 foram dispensadas de forma pioneira no Brasil com indenizações pagas a prazo, decorrente de acordo com o sindicato.  Nova estrutura comercial implantada com redução de 60% na linha de produtos, passando-se a produzir apenas sob encomenda.           

RESULTADO: Após 14 meses de "gestão interina" por nossa equipe, a empresa voltou ao comando de seu acionista controlador, agora na condição de líder de mercado, com vendas quadruplicadas, apenas 197 empregados, empenho e moral de trabalho elevada, crédito com fornecedores, sem dívida bancária e com um fluxo de caixa positivo. Logo a seguir o processo de concordata foi encerrado e a empresa vendida para um grupo de investidores por US$ 4 MM em dinheiro mais a assunção dos passivos remanescentes, substancial valorização em relação ao “valor zero”, reconhecido por escrito pelo acionista controlador por ocasião do envolvimento da Orchestra®.